+351 217 788 474

Login

Sign Up

After creating an account, you'll be able to track your payment status, track the confirmation.
Username*
Password*
Confirm Password*
First Name*
Last Name*
Email*
Phone*
Contact Address
Country*
* Creating an account means you're okay with our Terms of Service and Privacy Statement.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step

Already a member?

Login

COMUNICADOS

Maio 2017
Quercus alerta para problemas graves no sector da caça em Portugal   Lisboa, 21 de Maio de 2017 – O dia 22 de Maio assinala o Dia Internacional da Biodiversidade, que surgiu na sequência da 1ª Convenção sobre a Diversidade Biológica. A biodiversidade ou diversidade biológica refere-se à variedade de organismos no Mundo e às relações...

Rio Zêzere, Turismo e Cerejas do Fundão podem ser afetados Castelo Branco, 24 de Maio de 2017 -O projeto de exploração e tratamento de depósitos de minerais a céu aberto de lítio, tantalo, nióbio, volfrâmio, rubídio, cobre, chumbo, zinco, ouro, prata, césio, escândio e pirites, abrange uma área de 403 hectares, situada na união de freguesias da Coutada e Barco, no concelho da Covilhã, e nas freguesias de Silvares e Lavacolhos, no concelho do Fundão. Esta eventual exploração situa-se a poucas centenas de metros da margem do rio Zêzere e de várias povoações, e, caso avançasse, teria um impacte muito significativo no ambiente e na qualidade de vida das populações envolventes, existindo um risco muito elevado de contaminação das águas do rio Zêzere, dos solos, da paisagem e do ar. serra mapa serra A Quercus lembra que este impacte seria cumulativo com outras fontes de poluição já existentes na zona, como o complexo de Minas da Pampilhosa da Serra que tem um passivo ambiental de várias décadas, e que continua por resolver. Estes impactes seriam muito significativos no rio Zêzere, que abastece milhões de cidadãos com água para consumo, no ecossistema da Serra da Argemela, no ecossistema ribeirinho e nas populações que vivem na envolvente da área. Dado o método de exploração previsto (a céu aberto) e o regime de ventos nesta zona de montanha, a dispersão de poeiras decorrentes da exploração dos minérios poderá chegar a dezenas de quilómetros de distância do local e poderá afetar não só a qualidade do ar, mas também a agricultura da zona (Cova da Beira), a saúde das populações e o turismo. Na evolvente da eventual exploração existe um castro e mais de 800 residentes das aldeias do Barco e Coutada. As populações, autarcas e vários empresários do sector do turismo e agricultura estão contra este projeto, pois têm sido investidos na zona vários milhões de euros (em investimentos privados e fundos comunitários), que são postos em causa com este projeto. Estes cidadãos que se sentem afetados e prejudicados com a possibilidade de avanço da exploração mineira, criaram uma plataforma de defesa da Serra da Argemela, à qual a QUERCUS aderiu. A Quercus irá colaborar com o movimento de contestação à exploração mineira na Serra de Argemela e usará todos os seus meios para travar este projeto que coloca em causa o desenvolvimento sustentado desta região, o ambiente e a saúde das populações. A Direção do Núcleo Regional de Castelo Branco da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

No próximo dia 22 de maio, pelas 14h00, a Quercus irá integrar as comemorações do 25º aniversário do Programa LIFE com o projeto LIFE TAXUS – Restaurar bosquetes de teixo [9580* Florestas mediterrânicas de Taxusbaccata], co-financiado pelo Programa Life+ Life NAT da União Europeia, cujo principal objetivo consistiu em conservar e aumentar a área de...
Rio Zêzere, Turismo e Cerejas do Fundão podem ser afetados   Castelo Branco, 24 de Maio de 2017 –O projeto de exploração e tratamento de depósitos de minerais a céu aberto de lítio, tantalo, nióbio, volfrâmio, rubídio, cobre, chumbo, zinco, ouro, prata, césio, escândio e pirites, abrange uma área de 403 hectares, situada na união de...
A PONG-Pesca saúda os esforços desenvolvidos pelo governo e por todos os envolvidos na Comissão de Acompanhamento da Pesca com Arte Xávega (CAPAX), que agora resultaram na publicação de uma nova portaria (nº 172/2017, de 25 de maio) que regula esta pescaria, mas manifesta apreensão sobre algumas das medidas nela constantes, nomeadamente a possibilidade de venda...
Quercus quer Portugal mais auto-suficiente e renovável em termos energéticos     A Quercus assinala hoje, 29 de Maio, o Dia Nacional da Energia, sublinhando a importância em apostar na eficiência energética, nas energias renováveis, na produção de eletricidade renovável para autoconsumo e mobilidade elétrica, como forma de diminuir a dependência energética, cumprir as metas...
29 de Maio – Vila Real – Praça do Município   A Quercus vai estar presente hoje, Segunda-feira, dia 29 de Maio, a partir das 9.30h, na Praça do Município, em Vila Real, na Concentração Antinuclear, pelo encerramento da Central Nuclear de Almaraz. Da comitiva constarão vários dirigentes dos Núcleos Regionais e da Direção Nacional...
Com 4 vantagens no combate ao abandono de resíduos   Entrou, no passado dia 26 de maio, em vigor o uso obrigatório de Guias Eletrónicas no transporte de Resíduos em território nacional, substituído as tradicionais Guias de Acompanhamento de Resíduos, que funcionavam em papel, e que permitiam camuflar uma série de irregularidade, como o transporte...
Lisboa, 30 de Maio de 2017 – De visita a Portugal, o cientista indiano Rajendra Kumar Pachauri, fundador e mentor do Movimento Protect Our Planet (POP), irá reunir-se com a Quercus para debater o tema das alterações climáticas, que são atualmente uma das maiores ameaças ambientais e sociais que o planeta e a humanidade enfrentam. A...
1 2